Quais os cuidados que você deve ter com a alimentação no fim do ano?

Saiba como não exagerar na comida durante as celebrações de final de ano

Final de ano é sinônimo de celebração, comunhão, família, amigos. É uma época especial, hora de rever pessoas queridas e passar por momentos inesquecíveis. A comida também não pode faltar nesta época, pois é ela que torna as festas de final de ano em um momento ainda mais incrível e gostoso.

Mas, alguns cuidados com a alimentação durante as celebrações são importantes, principalmente para pessoas com diabetes ou pressão alta. Aqui vão algumas dicas:

  • Amigo chocolate

O tradicional amigo chocolate não pode faltar no final do ano. É uma ótima forma de encontrar pessoas especiais e retribui-las pelo ano que passou. Mas se receber muitos chocolates, tente não comê-los todos sozinhos e de uma vez só. Divida-os com sua família, sua namorada ou namorado, ou guarde para quando a vontade de um doce bater.

  • Festas de confraternização de trabalho ou de outras atividades

As festas de confraternização são momentos de descontração, que normalmente contam com comidas diversas. Por isso, procure não ir com muita fome para não exagerar. Tente provar todos os alimentos, controlando as quantidades moderadamente.

  • Ceia de Natal e de Ano Novo

Nos dias de ceia, procure seguir a sua alimentação de sua rotina. Não deixe de comer durante o dia para compensar a comida da noite. Procure sempre adicionar verduras, legumes ou frutas ao prato e dê preferência para carnes mais magras, como a de aves, peixes, lombo e tender assado. Em relação à sobremesa, tente experimentar de tudo, mas em pequenas quantidades.

  • Bebidas alcoólicas

As bebidas alcoólicas fazem parte das celebrações de final de ano. Por isso, beba com moderação. E, a cada copo de álcool, tome um copo de água para hidratar-se.

Referência:

Danielle NC, Mary EK, Maria LM, Angela DL, Bret R, Julita EB, et al. The effects of moderate whole grain consumption on fasting glucose and lipids, gastrointestinal symptoms, and microbiota. Rev. Nutrientes, 2017; 9(2):173.