Força e condicionamento físico além da musculação

Conheça novas modalidades de treino e como a alimentação pode ajudar a melhorar os resultados
 

Em busca de mais saúde e de um corpo definido, muitas pessoas estão optando por atividades além da musculação convencional, que podem ser feitas ao ar livre ou no ringue, de maneira mais dinâmica e divertida por serem realizadas em grupo. Existem diversas opções de exercícios de alta intensidade – que ajudam a melhorar o condicionamento físico e a perder alguns quilinhos – dentre eles o crossfit, bootcamp e funcional fight. Conheça cada um deles a seguir:

Crossfit

O crossfit é uma modalidade de exercícios com alta intensidade que combina movimentos funcionais, como levantamento de força, levantamento olímpico e ginástica, que devem ser realizados com repetições rápidas, sucessivas e limitado tempo de recuperação. A modalidade exige o peso do próprio corpo, mas também são utilizados equipamentos como barras, pneus, cordas, elásticos e argolas. Em apenas 20 minutos de aula, é possível perder mais de 200 calorias.

Bootcamp

Esta modalidade foi criada por ex-militares americanos, unindo exercícios de resistência e cardio de alta intensidade feitos em série, com o uso de pesos, barras, sacos de areia e o peso do próprio corpo. A prática é feita em estações, com tempo determinado em cada uma, devendo-se seguir a sequência do próximo exercício. Assim como o crossfit, o bootcamp é uma boa opção para melhorar a força e a agilidade. Em 1 hora de aula, é possível queimar de 600 a 900 calorias, que variam de acordo com o preparo físico de cada um.

Funcional fight

O funcional fight é um mix de lutas com treino funcional, desenvolvido por um ex-lutador de MMA. As aulas têm como proposta trabalhar o corpo como um todo, por isso, combinam alongamentos, movimentos de luta, abdominais e exercícios aeróbios, podendo ser feitas de forma individual ou grupos. Dependendo do condicionamento físico de cada praticante, é possível perder até 1000 calorias por aula, que dura de 45 a 60 minutos.

Benefícios dos exercícios de alta intensidade:

  • Melhora do condicionamento cardiovascular e respiratório;
  • Aumento da força e resistência;
  • Melhora na flexibilidade, agilidade e coordenação;
  • Diminuição do estresse;
  • Conscientização dos limites e possibilidades do próprio corpo.

Treinos de alta intensidade: o que comer?

O carboidrato, encontrado em alimentos como pães, massas, cereais, frutas e batata, é a principal fonte de energia para o corpo e, no caso dos exercícios de alta intensidade e curta duração, também fornece substrato energético para a contração do músculo. Dessa forma, pessoas que seguem uma dieta com baixa ingestão de carboidrato podem sentir fadiga precoce e menor rendimento durante os treinos.

De acordo com Beatriz Botequio, nutricionista da Equilibrium Consultoria e consultora do SABE portal, o carboidrato deve ser consumido pré, durante e pós-treino. “Antes e durante o treino intenso, o carboidrato ajuda a melhorar o desempenho e a manter o açúcar no sangue. Depois do treino, é importante para repor o estoque de energia, além de contribuir para a manutenção da massa magra, principalmente nesse tipo de exercício, que exige do praticante o máximo desempenho”.

Os carboidratos complexos, como pães, biscoitos e frutas, podem ser consumidos 30 minutos antes do treino. Para os carboidratos mais simples, como maltodextrina e energéticos, a dica é ingeri-los 15 minutos antes de iniciar o treino.  Além disso, é preciso ter atenção na adequada ingestão de água, para manter a hidratação do corpo. “No pós-treino, capriche na combinação de carboidrato + proteína de fácil absorção, como lanches de pão integral com atum ou queijos magros”, indica a nutricionista.

Referências:

Ramires A. Tibana, Leonardo M. de Almeida, Nuno M. Frade de Sousa.et. al. Two consecutive days of crossfit training affects pro and anti-inflammatory cytokines and osteoprotegerin without impairments in muscle power. Front Physiol. 2016; 7: 260

Silva A.L, Miranda G., Liberali R. A influência dos carboidratos antes, durante e após-treinos de alta intensidade. Rev. Bras. Nutr. Esp. 2008; v. 2, n. 10, p. 211-22.