FOCO NO CAFÉ DA MANHÃ

Essa refeição merece atenção especial.

img_0141

Pressa, falta de apetite ou preguiça de cozinhar são algumas das desculpas utilizadas por quem não tem o hábito de comer logo ao acordar. Desculpas que deveriam ser repensadas, já que o consumo regular do café da manhã está relacionado ao melhor desempenho intelectual, seja para estudar ou trabalhar.

“Para a ciência, o assunto café da manhã e cognição é antigo, principalmente tratando-se de crianças e adolescentes, pois já está comprovado há tempos que alunos bem alimentados têm desempenho superior nos estudos”, explica a nutricionista Carolina Godoy. E os benefícios também se estendem para os adultos.

Melhora da memória, atenção, concentração, aprendizado e capacidade de tomar decisões são alguns dos benefícios que um café da manhã pode trazer. Especialmente na segunda metade da manhã, onde há uma queda natural do rendimento.

A principal explicação para todos esses benefícios vem do fato de que o cérebro é dependente de glicose, ou seja, precisa de energia para funcionar corretamente. Embora durante o sono o corpo esteja de repouso, atividades involuntárias como respiração, digestão e manutenção da temperatura continuam acontecendo e utilizam energia. Assim, pela manhã, os estoques de glicose estão baixos e é necessário repor a energia perdida ao longo da noite. E aí entra o café da manhã, que tem um papel fundamental como fonte de nutrientes para o início das atividades diárias, garantindo um bom desempenho físico e mental.

Grande parte dos brasileiros tem o hábito de realizar essa refeição, especialmente os adultos. Porém, muitas vezes ela é composta apenas por café, às vezes leite, pão francês e margarina. Escolhas que indicam monotonia alimentar e refletem em um baixo consumo de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes.

Por isso, para usufruir dos benefícios intelectuais que essa refeição pode trazer, é importante investir em um café da manhã variado e equilibrado em todos os nutrientes. Mas como? Combinando alimentos fonte de carboidrato e energia (como pães) com alimentos fontes de proteínas (como o leite, queijo, iogurte, ovo) e frutas da estação, ricas em vitaminas, minerais e fibras.

“Para não enjoar, o pão de forma pode ir à torradeira, o leite pode ser quente ou gelado em um smoothie e a fruta pode ser cortada em pedaços ou em suco”, completa a nutricionista. Sem monotonia, sem complicação e garantindo muita atenção.